#tweets do debate em Vila Real

#Nuno Tavares Moreira
Professor da Universidade Trás-os-Montes e Alto Douro

Quase diria que é salutar reduzir o consumo de carne em Portugal. Este é o grande buraco das nossas contas agrícolas. O resto são amendoins”

Sobre o peso das importações de produtos agrícolas (quase um terço é ração para animais)

# “O grau de autoaprovisionamento de Portugal anda na casa dos 75% a 80%. Não tragam a imagem desgraçada que temos de importar tudo o que comemos”

Nos produtos hortícolas Portugal produz 170% do que consome. No vinho, 140%.

#António Perez Metelo
Jornalista e moderador do debate

Há uma asfixia do capital de risco. Em Portugal não há a cultura de que se aprende com o erro e com o fracasso”

“Desmontamos os mitos urbanos de que não produzimos nada e de que importamos tudo”

Sobre o senso comum que Portugal é um importador líquido de produtos agrícolas.

#Jaime Ferreira Borges
Presidente da Adega Cooperativa de Vila Real

“A certa altura  as instituições  de crédito fizeram  o mesmo que  os políticos: abandonaram  a agricultura”

“Algum empreendedorismo não é pensado em termos de futuro e depois vem a ficar pelo caminho”

#Artur Cristóvão
Vice-reitor UTAD (Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro)

A terra arável é um recurso escasso. A China está a tentar comprar terra noutros continentes”

Trás-os-Montes está vocacionado para a produção em pequena escala mas  de grande qualidade”

#Abílio Tavares da Silva
Proprietário da Quinta de Foz Torto

O Mundo tem passado muito bem sem os meus vinhos. O meu desafio é que nos próximos 15 a 20 anos passe menos bem sem eles”

[Na agricultura] só para um tipo descobrir que errou, leva 10 anos”

#Adelino Bernardo
Diretor-adjunto da Direção Regional de Agricultura e Pescas

A maior parte das terras na nossa região ainda está em nome do pai ou do avô, e estes processos têm de ser regularizados”

Sobre as dificuldades no avanço da iniciativa Bolsa de Terras

A apólice coletiva pode ser uma vantagem competitiva para os seguros de colheitas”

Nuno Alves
Diretor coordenador da Rede de Empresas Norte do Millennium BCP

É bom que se saiba que o BCP está preparado para apoiar a agricultura. Mas também é bom que se saiba que os projetos têm de estar bem preparados e ser robustos”